segunda-feira, dezembro 11, 2006

Secretário diz que Itabuna supera média brasileira de investimento em saúde

O Secretário Municipal de Saúde, Jesuíno de Souza Oliveira, afirmou esta semana que Itabuna é a principal cidade baiana, superando a média do Brasil, com o maior investimento em saúde no País. A declaração do secretário foi feita com base nos dados apresentados pelo Datasus, através do Caderno Básico de Informação em Saúde, do Ministério da Saúde.

Estes dados, na opinião do secretário, servem como estímulo para os profissionais de saúde do município de Itabuna e da rede credenciada (prestadores de serviços do SUS municipal) buscarem a melhoria significativa do atendimento ao usuário do SUS, alvo principal de nossas ações.

Jesuíno disse que essa situação reafirma Itabuna como um grande pólo de oferta de serviços de saúde do Estado, sendo referência não apenas para a macrorregião como também para todo o Estado. “Por ser via de acesso para vários pontos turísticos e migração, o município termina por atender uma demanda maior de usuários de outros estados que necessitam de monitoramento constante das ações desenvolvidas”, declarou.

O assunto foi motivo de um encontro do secretário com sua equipe técnica na semana passada com todos os representantes da sociedade civil organizada, através do GAC, e no último dia 7 de dezembro com os vereadores de Itabuna, onde ele relatou os dados do Datasus garantindo que a legislação e as diretrizes do Sistema Único de Saúde – SUS vêm sendo cumpridas rigorosamente com a racionalização dos recursos e efetividade das ações em saúde. Ele ressaltou que o fato de haver altos investimentos não significa necessariamente que o município deva ficar acomodado pois os fatos e o processo saúde/doença, na sua opinião, são dinâmicos e os problemas surgem a todo instante e precisam ser resolvidos imediatamente: “Isso requer implementação qualitativa de novas ações para o alcance de metas e a vigilância dos fatores de risco”.

Jesuíno Oliveira afirma ainda que, com essas considerações, ao contrário do que afirmam que a saúde pública de Itabuna encontra-se em um verdadeiro “caos”, os dados que estão disponíveis no Ministério da Saúde encontram-se evidenciado no quadro abaixo, apenas como exemplo de que o município gasta cerca de R$ 91,55 por habitante, quando a média nacional encontra-se em R$ 37,77 e tendo como a média de toda a Bahia o valor de R$ 30,04, como também de outras cidades do estado.

Ele disse que, dessa forma, medidas drásticas e regulatórias estão sendo adotadas pela Central de Regulação e Planejamento da Saúde de Itabuna para conter gastos que, só com internamento hospitalar em 2005, chegaram a mais de R$ 14.690 e, em 2006 (até o mês de agosto), esse valor ultrapassou os R$ 8.255. Jesuíno informou que o município conseguiu efetuar uma redução nos gastos a partir da atual gestão passando a ter controle a partir junho/2006, o que contribuiu para a redução este ano, de aproximadamente de 43,82% se comparado com os gastos de 2005. Ele informou ainda que o atendimento da atenção básica de Itabuna é de 8,3 procedimentos básicos por habitante, maior do que a média Brasil, que foi de 6,2 procedimentos.

“Com base nesses dados reais do Datasus do Ministério da Saúde, podemos afirmar que nestes 191 dias de gestão à frente da gestão da saúde pública em Itabuna afirmamos com segurança que estamos conseguindo avanços operacionais que asseguram melhores dias para a saúde do município”, concluiu. (Fonte: Ascom de Itabuna)