quinta-feira, dezembro 21, 2006

Posto do Nova Califórnia passa a funcionar em novo endereço

O posto de Saúde da Família do bairro Nova Califórnia foi reaberto na manhã de quarta-feira, 20, com a presença do secretário Jesuíno Oliveira, em um novo endereço. A mudança se deveu a um pedido do Ministério Público, que considerou o antigo local de funcionamento, escolhido pelo governo anterior um espaço inadequado para o desempenho das suas funções.

O posto que funcionava dentro das instalações da creche SOS Canto da Criança, passou a funcionar em uma casa que foi alugada e reformada, para adequação do seu espaço à sua nova finalidade. Contando com uma recepção, uma área de circulação, uma farmácia, salas de exames e uma sala para a enfermeira responsável pelo posto, a unidade do Nova Califórnia está agora, adequada à sua finalidade, sem se confundir com o atendimento feito na creche.

De acordo com o secretário, a unidade passa a partir de agora a contar com uma estrutura direcionada especificamente para o atendimento da população do bairro, embora com uma área ligeiramente menor, mas melhor estruturada, podendo prestar um serviço ainda melhor para os moradores da localidade.

Jesuíno lembrou que o setor de saúde da prefeitura tem trabalhado incansavelmente para suprir as deficiências naturais de um sistema que conta com recursos escassos e que infelizmente não tem como oferecer um atendimento de primeiro mundo a toda a população do país. “As deficiências não são provenientes de uma má administração dos recursos como alguns tentam retratar, mas da própria limitação dos recursos do repassados pelo governo federal, que não tem como suprir todas as necessidades da população, integralmente”, avaliou.

Hoje, lembrou o secretário, como pólo regional de saúde, Itabuna arca não apenas com as despesas de atendimento de sua população, em torno de 200 mil habitantes, mas de mais de um milhão de pessoas que residem nos mais de 100 municípios pactuados com ela, que enviam seus pacientes para a nossa cidade, que não cobrem os custos destas despesas e aos quais Itabuna não pode recusar o atendimento.

Mutirão - Para marcar a mudança do endereço e o novo local de atendimento, a Secretaria de Saúde realizou durante todo o dia, um mutirão de saúde, para os moradores da área de atuação do Posto de Saúde da Família, que puderam contar com os serviços ambulatoriais normais, além de atendimentos nas áreas de Oftalmologia, Odontologia, Ginecologia e exames citológicos, através dos Carrinhos da Saúde.

Outra novidade para os moradores foi a presença de uma equipe da Fundação Júlio Brito, que orientou as pessoas atendidas no posto neste dia, com palestras educativas sobre as Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST's) e a Síndrome da Imunodeficiência Adiquirida (AIDS). Todo o trabalho teve o apoio de uma equipe de estudantes da Escola Técnica de Enfermagem da Santa Casa de Misericórdia.

O início do mutirão aconteceu às oito horas da manhã, quando os primeiros moradores chegaram para conhecer as novas instalações do posto, só terminando no final da tarde, por volta das 16 horas, quando os carrinhos foram recolhidos. A intenção da secretaria foi dar aos moradores um espaço agradável e acolhedor, uma vez que este já chega ao posto fragilizado pela doença.

Programa - A diretora do Departamento de Atenção Básica à Saúde, Renata Benevides, esclareceu que além do trabalho normal de palestras e atendimentos preventivos, que já fazem parte do Programa de Saúde da Família, que tem por objetivo o controle da sintomatologia de doenças, que, quando não acompanhadas, podem resultar em problemas mais graves para o paciente.

As aferições de pressão e de glicemia de vasos periféricos, de acordo com Renata visa ainda evitar as complicações de doenças, como hipertensão arterial, diabetes, doenças cardiovasculares, entre outras, que quando não controladas ou tratadas a tempo, podem resultar em um custo social maior, para os pacientes e para a comunidade, sem falar no custo econômico que é infinitamente maior nas complicações, com a exigência de exames e remédios de custo muito mais elevado, o que sobrecarrega o sistema de saúde como um todo. (Fonte: Ascom de Itabuna)