quinta-feira, dezembro 28, 2006

Ilhéus recadastra cartão de usuários do SUS

Ilhéus iniciou o recadastramento de cartão dos usuários do Sistema Único de Saúde, o Cartão Nacional de Saúde. Agentes comunitários fazem o recadastramento durante visitas às residências, segundo a secretária municipal de Saúde, Eliene Oliveira. O último cadastramento foi feito há cerca de quatro anos. A meta da prefeitura é intensificar o trabalho para que todo ilheense tenha o seu cartão magnético de acesso aos serviços públicos de saúde, desde a rede básica à internação hospitalar.

A secretária disse que a população pode aguardar em casa a visita do agente comunitário. “Não há a necessidade da pessoa se deslocar até a unidade de saúde para fazer o cadastramento”, observa. Para Eliene, o cartão magnético significa uma evolução para o SUS, pois ele tem validade nacional e o município que prestar o atendimento ao cidadão não sofrerá mais com a “evasão” da receita. Eliene acredita que o recadastramento seja concluído no prazo de seis meses.

Além de atualizar os dados do paciente, também poderão ser feitos novos cartões para usuários ainda não cadastrados. Os agentes solicitarão documento de identificação pessoal e comprovante de residência ou cartão cidadão. “Com a atualização dos dados sendo feita em domicílio, nós queremos garantir tranqüilidade aos usuários do SUS”, afirma a secretária de Saúde.

Cartão SUS - A partir da criação da rede de cartão SUS, o município e o Ministério da Saúde podem fazer um acompanhamento individualizado do histórico de atendimento do paciente. Isso quer dizer que será possível identificar todas as vezes que o usuário foi atendido na rede pública de saúde e, também, quais os serviços prestados ao paciente. A secretária Eliene Oliveira diz que, dentre os objetivos desta ação, destacam-se a construção de uma base de dados de histórico clínico e a identificação instantânea do paciente e a agilização do atendimento.

Outro ganho identificado pela secretária é o melhor acompanhamento, controle e avaliação do serviço prestado. Para o município, mais uma vantagem será a garantia de recebimento pelo atendimento oferecido. “Muitas vezes, o sistema municipal de saúde não é ressarcido de um serviço quando o paciente é oriundo de outra cidade”, diz. O cartão eliminará essa distorção, acredita. (Fonte: Ascom de Ilhéus)