sexta-feira, dezembro 15, 2006

Guia ecoturístico mapeia as áreas do Rio Capivara e Lagoas de Guarajuba

Já está no mercado o Guia Ecoturístico APA Lagoas de Guarajuba e APA Rio Capivara, do Centro de Educação Tecnológica do Estado da Bahia. O objetivo desta publicação é valorizar os recursos naturais, a biodiversidade das APAs, a beleza cênica disponível, estimulando a conservação, a preservação e, em alguns casos a recuperação ambiental num processo harmônico onde a exploração dos recursos, a direção dos investimentos, a orientação do desenvolvimento tecnológico e a mudança institucional configura-se em desenvolvimento sustentável das comunidades alvo.

O ecoturismo pressupõe quatro princípios básicos: desenvolvimento sustentável da região, baixo impacto sobre o meio ambiente, conscientização ecológica e benefícios às comunidades locais. Buscando a gestão sustentada do território com base em suas características ambientais, as Áreas de Proteção Ambiental (APAs) constituem um dos principais instrumentos do governo para garantir a preservação do meio ambiente ao tempo que promove o desenvolvimento de forma equilibrada.

A idéia de elaborar um guia ecoturístico surgiu quando a administradora das APAS Rio Capivara e Lagoas de Guarajuba, Alana Padilha, teve a oportunidade de fazer um curso sobre guias de biodiversidade. O curso foi oferecido pela UEFS. O Centro de Educação Tecnológica do Estado da Bahia entrou em contato com a administração e solicitou estágio para alunos do Curso Técnico em Ecoturismo. Os estagiários abraçaram a idéia e iniciaram excursões para conhecimento e reconhecimento dos atrativos naturais e todo o aparato disponível à prática do ecoturismo.

INFORMAÇÕES – Neste guia estão descritas informações ilustradas de todos os recursos naturais, histórico-culturais e sócio-econômicos das APAS Rio Capivara e Lagoa de Guarajuba. As duas APAS estão situadas na orla do município de Camaçari e, por isso, contêm em seus limites, praias de águas calmas e quentes. Agradam também aos surfistas por apresentarem ondas fortes propícias à prática do surf. Nessas áreas ocorrem três rios denominados Capivara, Pojuca e Jacuípe.

Água abundante, solo variado, clima favorável. Cerca de 320 espécies vegetais povoam os ecossistemas. Remanescentes de restinga e mata atlântica. Numerosas espécies de aves povoam a área em busca do alimento encontrado em terra firme ou no entorno de rios e lagos. Mar, lagoas e rios estimulam a pesca artesanal ou esportiva, o turismo náutico, as trilhas aquáticas, esportes de aventura e muito mais. A apicultura e a meliponicultura são a fonte de renda de muitas famílias.

POTENCIAL - A intenção do guia é divulgar todo o potencial ecoturístico das APAs Rio Capivara e Lagoas de Guarajuba, organizando conhecimento dos moradores locais e condutores e, finalmente atraindo o turista aos locais evidenciados. Há atrativos naturais como rios, lagoas, manguezais, praias, duna, fauna e flora, os esportes de aventuras, trilha, turismo rural, as comunidades tradicionais (Jorrinho, Machadinho, Areias, Arembepe, Barra de Jacuípe, Monte Gordo, Guarajuba, Barra do Pojuca e Itacimirim), patrimônios históricos (sítios arqueológicos, quilombolas, igrejas e capelas, terreiros de candomblé), manifestações culturais e religiosas (samba de roda, capoeira, chegança, bumba meu boi, festejos juninos), artesanato (cerâmica, areia decorada, trançado de palha, bonecas de pano, móveis de bambu), extrativismo (madeira, coco, argila, piaçava, frutos, sementes) e gastronomia (pitú, feijoada, caldo de pinauna, cocada, mariscada, bucho de boi).

Entre as comunidades tradicionais estão Machadinho com um quilombola conhecido como Capivara que sempre tiveram como geração de renda a produção de carvão; Jorrinho que se tornou um recanto de visitantes que buscam suas águas termais; Areias possui dunas e lagoas cujo conjunto estético e paisagístico atrai veranistas, visitantes e turistas; Arembepe, conhecido ponto de encontro dos hippies na década de 70, tem peculiaridades naturais e paisagísticas (rio, lagoas, praias e dunas) que atraem grande número de veranistas; Barra de Jacuípe que tem o encontro do rio com o mar formando a barra de beleza singular contornada por coqueiral e manguezal.

Monte Gordo é um distrito de Camaçari que tem no turismo rural, na visita ao quilombola, trilhas e os costumes locais como opções de entretenimento. Já Guarajuba tem águas calmas das piscinas que permitem o lazer seguro das crianças e comodidade dos adultos que não gostam de ondas fortes. As lagoas situadas aí tornam o visual do local mais agradável. A pesca artesanal e a mariscagem é o cotidiano dos nativos.Barra de Pojuca tem como fonte de renda, pesca, mariscagem e produção de artesanato. E Itacimirim tem uma beleza que atraiu grande número de investidores, veranistas e turistas. Hotéis, pousadas e residências particulares surgiram em toda a extensão. Um belo trabalho que merece a atenção de todos, este Guia Ecoturístico.