sexta-feira, dezembro 22, 2006

Ambulantes sem cadastro saem do comércio de Ilhéus

A operação de retirada de vendedores ambulantes e camelôs que atuavam nas ruas de Ilhéus, sem estar cadastrados na associação da categoria, transcorreu de forma tranqüila. A avaliação é do assessor da Secretaria Muncipal de Indústria, Comércio, Ciência e Tecnologia, Gentil Pires, que coordenou as ações. O pedido para a ordenação do comércio havia sido formulado pela Câmara de Dirigentes Lojistas e Associação Comercial de Ilhéus.

“Não houve qualquer tipo de resistência e é bom salientar que tivemos o apoio das associações que representam os ambulantes”, afirma Gentil Pires. Segundo ele, o prefeito Valderico Reis pediu todo o empenho da Secretaria para controlar o avanço do comércio informal. O assessor salienta que foram retiradas apenas as pessoas que não possuem cadastro nas associações, a grande maioria delas proveniente de municípios vizinhos.

Os comerciantes regularmente estabelecidos se queixam da concorrência desleal, reclamando ainda de que a presença dos vendedores informais se intensifica no período natalino. De acordo com a Secretaria, somente estão autorizados a atuar os cerca 65 de ambulantes e camelôs cadastrados.

Depois da remoção, que aconteceu nesta quinta-feira, a Prefeitura manterá uma fiscalização permanente em trechos como o calçadão da Rua Marquês de Paranaguá e Praça Coronel Pessoa. “O objetivo é não permitir que os ambulantes voltem a ocupar esses espaços”, observa Gentil. O assessor já se reuniu com os representantes das associações de ambulantes para traçar parâmetros e organizar a atuação da categoria.

“É importante destacar que o governo em nenhum momento agiu com intransigência, até por entendermos que se trata de um problema social”, frisa Pires. No entanto, ele chama atenção para a necessidade de se manter o ordenamento do comércio, o que “traduz uma demanda de toda a coletividade”. (Ascom de Ilhéus)