sexta-feira, outubro 06, 2006

Ilhéus engajada na luta contra prostituição infantil

Tendo como público-alvo profissionais que atuam no setor de hotelaria, bares, restaurantes, agências e operadoras de turismo, além de taxistas, guias de turismo, empresas de eventos e polícias administrativa e militar, o município de Ilhéus vem se engajando na luta para o combate ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes. Esse tema é objeto do seminário “Turismo sustentável & infância: colocando em prática”, promovido pelo Ministério do Turismo e parceiros, que será realizado em mais de 24 municípios brasileiros, na primeira quinzena de novembro.

A turismóloga Elizete Paixão, representante do Ministério do Turismo, coordenou nesta quarta-feira (4), no auditório Fernando Leite Mendes, da Fundação Cultural de Ilhéus, uma reunião para definir detalhes do seminário. Estiveram presentes o secretário de Turismo Hermano Fahning, a coordenadora do projeto Sentinela, Maria José da Hora, além de membros do Conselho Tutelar e de outros órgãos e instituições que atuam como parceiros nesse programa.

Na oportunidade, Elizete Paixão observou que, no Brasil, a exploração sexual de crianças e adolescentes não está restrita às áreas de movimentação turística, embora seja nelas que sua ocorrência se dê de forma mais agressiva. Ela enfatizou que o turismo não é a causa da exploração em menores e disse ser de suma importância a participação dos profissionais do setor em reafirmar seu compromisso com a proteção da infância e da adolescência, não permitindo a utilização dos equipamentos do turismo para fins de exploração sexual.

Através de dados coletados por especialistas do setor, a técnica do Ministério do Turismo comparou por regiões do país o número de destinos turísticos envolvendo casos de exploração em menores. Na região Norte (120 destinos turísticos e 52 casos de exploração); Nordeste (436 destinos turísticos e 113 casos de exploração); Sudeste (317 destinos turísticos e 83 casos de exploração); Centro-Oeste (188 destinos turísticos e 65 casos de exploração) e Sul (453 destinos turísticos e 85 casos de exploração). (Fonte: Ascom de Ilhéus)